Eu e outras poesias, de Augusto dos Anjos

Um dos melhores livros de poesia que já pude apreciar. Foge do lugar comum e nos leva num ritmo de cavalgada alucinante por um gênero poético mórbido, insólito e febril.

Publicado no Rio de Janeiro em 1912, EU é o único livro de poesia do paraibano Augusto dos Anjos. Ele também foi considerado romântico por muitos dos seus críticos brasileiros. Atualmente visto como pré-modernista, exprimindo melancolia ao mesmo tempo em que desafia os parnasianos, utilizando palavras como verme, cuspe e vomito, entre outras, o autor foge as inclinações amorosas. A ascensão da obra só chega após a morte do poeta. Alguns a consideram uma obra expressionista outros veem nela características impressionistas, sendo comumente classificada como pertencente ao pré-modernismo brasileiro. Sua poesia não agradou a todos os intelectuais da época. Recomendo a leitura desta obra após assistir um show de Ney Matogrosso, isso vai ajudar a criar o ambiente gótico perfeito. A edição que eu tenho é essa da imagem: Uma edição especial revisada e ampliada de 2014, a 49ª edição pela editora BERTRAND BRASIL. Essa edição tem algumas curiosidades como as primeiras capas da obra e o contrato de Augusto dos Anjos para lançar as primeiras mil cópias.

“Sou uma Sombra! Venho de outras eras,
Do cosmopolitismo das moneras…
Pólipo de recônditas reentrâncias,
Larva de caos telúrico, procedo
Da escuridão do cósmico segredo,
Da substância de todas as substâncias!”

MONÓLOGO DE UMA SOMBRA
Augusto dos Anjos

Ótima leitura e até a próxima semana.

Fernando Fortuna

Publicitário, escritor, cineasta, músico. Pois bem, amante das artes e dos movimentos filosóficos da alma. Noite Literal é o meu quintal celestial. É neste espaço que pretendo trocar energias com você.

Leia também

COMENTE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *