MULHER TEM CARA

foto: Hans Silvester

A beleza vem de lá, sim, das pernas, dos braços, e do suor na cara. Não é um rosto, não. É na cara. A beleza vem de lá, e do corpo que se levanta, que briga, enfrenta, peita, e encara. Dá a cara, apanha na cara. Cara de anjinho, de João, de Puta, de Rapariga, de mãe, de irmã, de amiga. É na cara. E não há, debaixo das nuvens desse mundo que se habita, coisa que seja mais bonita, do que uma mulher que levanta e vai à luta. Tem mulher que tem xana, tem mulher que tem pica, não importa. Toda mulher tem cara, e toda mulher é bonita. Toda mulher é guerreira, é sonhadeira, é alegria, e é tristeza, e tá na cara, é de lá que vem a beleza. E tem um pouco de desgosto, que não é rosto, porque toda mulher tem cara.

Fernando Fortuna

Publicitário, escritor, cineasta, músico. Pois bem, amante das artes e dos movimentos filosóficos da alma. Noite Literal é o meu quintal celestial. É neste espaço que pretendo trocar energias com você.

Leia também

COMENTE!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *